164 - Diante de Deus


 
"Pai nosso..." - Jesus (Mate us, 6:9).
 
Para Jesus, a existência de Deus não oferece motivo para contendas e altercações.
 
Não indaga em torno da natureza do Eterno.
 
Não pergunta onde mora.
 
N’Ele não vê a causa obscura e impessoal do Universo.
 
Chama-Lhe simplesmente "nosso Pai".
 
Nos instantes de trabalho e de prece, de alegria e de sofrimento, dirige-se ao Supremo Senhor, na posição de filho amoroso e confiante.
 
O Mestre padroniza para nós a atitude que nos cabe, perante Deus.
 
Nem pesquisa indébita.
 
Nem inquirição precipitada.
 
Nem exigência descabida.
 
Nem definição desrespeitosa.
 
Quando orares, procura a câmara secreta da consciência e confia-te a Deus, como nosso Pai Celestial.
 
Sê sincero e fiel.
 
Na condição de filhos necessitados, a Ele nos rendamos lealmente.
 
Não perguntes se Deus é um foco gerador de mundos ou se é uma força irradiando vidas.
 
Não possuímos ainda a inteligência suscetível de refletir-Lhe a grandeza, mas trazemos o coração capaz de sentir-Lhe o amor.
 
Procuremos, assim, nosso Pai, acima de tudo, e Deus, nosso Pai, nos escutará.