130 - Na esfera íntima

 


 
"Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons dispensadores da multiforme graça de Deus." - Pedro (I Pedro, 4:10).
 
A vida é máquina divina da qual todos os seres são peças importantes, e a cooperação é o fator essencial na produção da harmonia e do bem para todos.
 
Nada existe sem significação.
 
Ninguém é inútil.
 
Cada criatura recebeu determinado talento da Providência Divina para servir no mundo e para receber do mundo o salário da elevação.
 
Velho ou moço, com saúde do corpo ou sem ela, recorda que é necessário movimentar o dom que recebeste do Senhor, para avançares na direção da Grande Luz.
 
Ninguém é tão pobre que nada possa dar de si mesmo.
 
O próprio paralítico, atado ao catre da enfermidade, pode fornecer aos outros a paciência e a calma, em forma de paz e resignação.
 
Não olvides, pois, o trabalho que o Céu te conferiu e foge à preocupação de interferir na tarefa do próximo, a pretexto de ajudar.
 
Quem cumpre o dever que lhe é próprio, age naturalmente a benefício do equilíbrio geral.
 
Muitas vezes, acreditando fazer mais corretamente que os outros o serviço que lhes compete, não somos senão agentes de desarmonia e perturbação.
 
Onde estivermos, atendamos com diligência e nobreza à missão que a vida nos oferece.
 
Lembra-te de que as horas são as mesmas para todos e de que o tempo é o nosso silencioso e inflexível julgador.
 
Ontem, hoje e amanhã são três fases do caminho único.
 
Todo dia é ocasião de semear e colher.
 
Observemos, assim, a tarefa que nos cabe e recordemos a palavra do Evangelho: - "Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons dispensadores da multiforme graça de Deus", para que a graça de Deus nos enriqueça de novas graças.