61 - Nunca desfalecer


 
“... Orar sempre e nunca desfalecer.” - (Lucas, 18:1).
 
Não permitas que os problemas externos, inclusive os do próprio corpo, te inabilitem para o serviço da tua iluminação.
 
Enquanto te encontras no plano de exercício, qual a crosta da Terra, sempre serás defrontado pela dificuldade e pela dor.
 
A lição dada é caminho para novas lições.
 
Atrás do enigma resolvido, outros enigmas aparecem.
 
Outra não pode ser a função da escola, senão ensinar, exercitar e aperfeiçoar.
 
Enche-te, pois, de calma e bom ânimo, em todas as situações.
 
Foste colocado entre obstáculos mil de natureza estranha, para que, vencendo inibições fora de ti, aprendas a superar as tuas limitações.
 
Enquanto a comunidade terrestre não se adaptar à nova luz, respirarás cercado de lágrimas inquietantes, de gestos impensados e de sentimentos escuros.
 
Dispõe-te a desculpar e auxiliar sempre, a fim de que não percas a gloriosa oportunidade de crescimento espiritual.
 
Lembra-te de todas as aflições que rodearam o espírito cristão, no mundo, desde a vinda do Senhor.
 
Onde está o Sinédrio que condenou o Amigo Celeste à morte?
 
Onde os romanos vaidosos e dominadores?
 
Onde os verdugos da Boa Nova nascente?
 
Onde os guerreiros que fizeram correr, em torno do Evangelho, rios escuros de sangue e suor?
 
Onde os príncipes astutos que combateram e negociaram, em nome do Renovador Crucificado?
 
Onde as trevas da Idade Média?
 
Onde os políticos e inquisidores de todos os matizes, que feriram em nome do Excelso Benfeitor?
 
Arrojados pelo tempo aos despenhadeiros de cinza, fortaleceram e consolidaram o pedestal de luz, em que a figura do Cristo resplandece, cada vez mais gloriosa, no governo dos séculos.
 
Centraliza-te no esforço de ajudar no bem comum, seguindo com a tua cruz, ao encontro da ressurreição divina. Nas surpresas constrangedoras da marcha, recorda que, antes de tudo, importa orar sempre, trabalhando, servindo, aprendendo, amando, e nunca desfalecer.