56 - Renasce agora


 
“Aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus”. - Jesus (João, 3:3).
 
A própria Natureza apresenta preciosas lições, nesse particular. Sucedem-se os anos com matemática precisão, mas os dias são sempre novos. Dispondo, assim, de trezentas e sessenta e cinco ocasiões de aprendizado e recomeço, anualmente, quantas oportunidades de renovação moral encontrará a criatura, no abençoado período de uma existência?
 
Conserva do passado o que for bom e justo, belo e nobre, mas não guardes do pretérito os detritos e as sombras, ainda mesmo quando mascarados de encantador revestimento.
 
Faze por ti mesmo, nos domínios da tua iniciativa pela aplicação da fraternidade real, o trabalho que a tua negligência atirará fatalmente sobre os ombros de teus benfeitores e amigos espirituais.
 
Cada hora que surge pode ser portadora de reajustamento.
 
Se é possível, não deixes para depois os laços de amor e paz que podes criar agora, em substituição às pesadas algemas do desafeto.
 
Não é fácil quebrar antigos preceitos do mundo ou desenovelar o coração, a favor daqueles que nos ferem. Entretanto, o melhor antídoto contra os tóxicos da aversão é a nossa boa-vontade, a benefício daqueles que nos odeiam ou que ainda não nos compreendem.
 
Enquanto nos demoramos na fortaleza defensiva, o adversário cogita de enriquecer as munições, mas se descemos à praça, desassombrados e serenos, mostrando novas disposições na luta, a idéia de acordo substitui, dentro de nós e ’em torno de nossos passos, a escura fermentação da guerra.
 
Alguém te magoa? Reinicia o esforço da boa compreensão.
 
Alguém te não entende? Persevera em demonstrar os intentos mais nobres.
 
Deixa-te reviver, cada dia, na corrente cristalina e incessante do bem.
 
Não olvides a assertiva do Mestre: - "Aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus.
 
Renasce agora em teus propósitos, deliberações e atitudes, trabalhando para superar os obstáculos que te cercam e alcançando a antecipação da vitória sobre ti mesmo, no tempo...
 
Mais vale auxiliar, ainda hoje, que ser auxiliado amanhã.