143 - Não tiranizes


“E, com muitas parábolas semelhantes, lhes dirigia a palavra, segundo o que podiam compreender.” (Marcos, 4:33).
 
Na difusão dos ensinamentos evangélicos, de quando em quando encontramos pregadores rigorosos e exigentes.
 
Semelhante anomalia não se verifica apenas no quadro geral do serviço. Na esfera particular, não raro, surgem amigos severos e fervorosos que reclamam desesperadamente a sintonia dos afeiçoados com os princípios religiosos que abraçaram.
 
Discussões acerbas se levantam, tocando a azedia venenosa.
 
Belas expressões afetivas são abaladas nos fundamentos, por ofensas indébitas.
 
Contudo, se o discípulo permanece realmente possuído pelo propósito de união com o Mestre, tal atitude é fácil de corrigir.
 
O Senhor somente ensinava aos que o ouviam, “segundo o que podiam compreender”.
 
Aos apóstolos conferiu instruções de elevado valor simbológico, enquanto que à multidão transmitiu verdades fundamentais, através de contos simples. A conversação d’Ele diferia, de conformidade com as necessidades espirituais daqueles que o rodeavam. Jamais violentou a posição natural de ninguém.
 
Se estás em serviço do Senhor, considera os imperativos da iluminação, porque o mundo precisa de servidores cristãos e, não, de tiranos doutrinários.