128 - É porque ignoram


“E isto vos farão, porque não conhecem ao Pai nem a mim.” Jesus (João, 16:3).
 
Dolorosas perplexidades não raro assaltam os discípulos, inspirando-lhes interrogações.
 
Por que a desarmonia, em torno do esforço fraterno?
 
A jornada do bem encontra barreiras sombrias.
 
Tenta-se o estabelecimento da luz, mas a treva penetra as estradas. Formulam-se projetos simples para a caridade que a má-fé procura perturbar ao primeiro impulso de realização.
 
Quase sempre, a demonstração destrutiva parte de homens assinalados pela posição de evidência, indicados pela força das circunstâncias para exercer a função de orientadores do pensamento geral. São esses que, na maioria das ocasiões, se arvoram em expositores de imposições e exigências descabidas.
 
O aprendiz sincero de Jesus, todavia, não deve perder tempo com interrogações e ansiedades que se não justificam.
 
O Mestre Divino esclareceu esse grande problema por antecipação.
 
A ignorância é a fonte comum do desequilíbrio. E se esse ou aquele grupo de criaturas busca impedir as manifestações do bem, é que desconhece, por enquanto, as bênçãos do Céu.
 
Nada mais que isto.
 
É necessário, pois, esquecer as sombras que ainda dominam a maior parte dos setores terrestres, vivendo cada discípulo na luz que palpita no serviço do Senhor.